Felino da espécie jaguatirica é encontrado morto na BA-263 em Palmas de Monte Alto

Foto: Leitor do Portal Vilson Nunes

Um felino da espécie jaguatirica ou ocelote foi encontrado às margens da BA-263, nas proximidades da Fazenda Cipó, em Palmas de Monte Alto, na tarde deste domingo (4). O animal possivelmente foi atropelado e estava caído no mato ao lado da rodovia. Não há informações de qual veículo pode ter o atropelado.

O motorista Luiz, foi o primeiro a ver o animal morto. Ele relatou à reportagem, que estava retornando de Sebastião Laranjeiras de bicicleta, quando em determinado momento viu sangue na rodovia e parou para olhar do que se tratava. “Eu estava fazendo um pedal, e quando vi o sangue fiquei curioso, e mais ou menos uns 2 metros da pista estava lá o animal caído. Tudo indica que foi algum carro que atropelou, pois ainda estava saindo sangue pela boca e pelo ouvido, certeza que tinha poucos minutos que aconteceu“, disse.

NOTA DO SITE

Inicialmente, devido a semelhança, o site havia informado equivocadamente que tratava-se de uma onça-pintada. No entanto, após a postagem, uma bióloga manteve contato e confirmou que na verdade o animal da foto era uma jaguatirica.

PROVÁVEL DESTINO

De acordo com pesquisa feita pelo site, normalmente em casos como este, o órgão responsável (IBAMA) recolhe o animal para ser empalhado, que é a técnica de preservação da forma da pele para exibição ou estudo do animal. Neste trabalho, também são coletados dados como espécie, peso, tamanho, padrão de pelagem, idade, entre outros.

CARACTERÍSTICA

jaguatirica (nome científico: Leopardus pardalis) ou ocelote é um mamífero carnívoro  de porte médio, com 72,6 a 100 cm de comprimento e peso entre 7 e 15,5 kg. O padrão de coloração da pelagem é muito semelhante ao do gato-maracajá, mas a jaguatirica é maior e possui a cauda mais curta. É um animal solitário, noturno, territorial e os machos possuem territórios que se sobrepõem sobre os de várias fêmeas. Alimenta-se principalmente de roedores, mas também de animais de porte maior como ungulados, répteis, aves e peixes. Caça à noite, formando emboscadas.

A União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais lista a jaguatirica como estado de conservação “pouco preocupante” e ela está incluída no apêndice 1 da Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies da Fauna e da Flora Silvestres Ameaçadas de Extinção. É o mais abundante dentre os felídeos sul-americanos, apesar de as populações estarem decaindo. A situação de conservação varia, e é listada como “vulnerável” na Colômbia e Argentina.

No Brasil, apenas a subespécie L. p. mitis foi considerada em alguma categoria de ameaça, mas atualmente ela não figura na lista nacional. Já foi muito caçada por conta do comércio ilegal de peles e vendida como animal de estimação, mas a maior ameaça é a destruição e degradação do habitat. A sua beleza e relativa docilidade já fizeram com que a jaguatirica fosse desejada como um animal de estimação exótico. Por ser de porte relativamente menor, a espécie não traz problemas com ataques a seres humanos, mas pode causar problemas com ataques a galinheiros.

Feito por Portal Vilson Nunes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.