“Manobras regimentais do presidente da Câmara e do Centrão pra fazer o maior estrago na economia do Brasil”, diz Rui Costa ao comentar PEC dos Precatórios; ouça

Vilson Nunes entrevista Rui Costa (Foto: Vivian Nunes/Portal Vilson Nunes)

Em passagem pela cidade de Palmas de Monte Alto, nesta quarta–feira (17), o governador da Bahia Rui Costa foi questionado pela reportagem do PORTAL VILSON NUNES sobre a sua posição contrária à PEC dos Precatórios, que foi aprovada pela Câmara dos Deputados no último dia 4 de novembro, que libera R$ 90 bilhões para Jair Bolsonaro (sem partido) gastar em ano eleitoral e viabiliza a ampliação do Auxílio Brasil. Em sua resposta, inicialmente Rui esclareceu que foi contra e permanece contra a PEC, pois segundo ele, a proposta prejudica o estado baiano e dá calote às contas públicas da união. “Sou a favor do benefício social, tem condições de pagar o benefício sem dar calote, principalmente calote na educação, nesta votação eles estão tirando R$ 10 bilhões de reais da educação das crianças da Bahia“, criticou.

Em outro ponto da entrevista, o chefe do executivo estadual rebateu as críticas de deputados que disseram que com essa postura o governador baiano estava se colocando contra as pessoas de baixa renda. Ele ainda afirmou que as manobras do presidente da Câmara Arthur Lira apoiado pelo Centrão estão destruindo a economia brasileira. “Nós estamos falando de manobras regimentais do presidente da Câmara e do Centrão para fazer o maior estrago na economia do Brasil, eles estão destruindo o Brasil“, rebateu. [ouça]

Vale ressaltar que, exceto os deputados mais à esquerda, como as bancadas do PT e do PCdoB, todos os outros votaram a favor da PEC. 

O OUTRO LADO

Na semana passada, o secretário estadual de Relações Institucionais, Luiz Caetano, acusou o DEM de articular pela aprovação da matéria. Em resposta, o presidente estadual do DEM, Paulo Azi, disse que o petista colocava-se contra milhares de baianos que podem ser beneficiados pelo Auxílio Brasil, programa do governo federal que deve substituir o Bolsa Família e tem valor estimado de R$ 400. Segundo o democrata, os petistas desinformam ao dizer que a Bahia deixará de receber os recursos do Fundef já garantidos em decisão do Supremo.

Feito por Portal Vilson Nunes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.