Especialista alerta para riscos no uso excessivo de fones de ouvido na infância

Foto: Reprodução

Mais de 1,1 bilhão de pessoas dos 12 a 35 anos de idade correm o risco, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), de sofrerem perda da audição por exposição a ruídos intensos, como os que acontece com o uso excessivo dos fones de ouvido.

Durante a pandemia, com a adaptação de aulas e outras atividades ao ambiente online e eletrônico, muita gente, incluindo crianças e adolescentes, passou a utilizar o acessório várias horas por dia com volumes que podem causar danos irreversíveis à saúde auditiva, como a Perda Auditiva Induzida por Ruído, a famosa PAIR.

“Os fones de ouvido podem alcançar uma intensidade sonora de até 110 decibéis, o que corresponde, por exemplo, ao som gerado por uma turbina de avião”, alerta Nayara Soares, otorrinolaringologista, otorrinopediatra, mestre em Saúde da Criança e Adolescente pela Unicamp e membro da Sociedade Baiana de Pediatria (Sobape).

A otorrinolaringologista adverte que os sons entre 60 e 65 decibéis tornam-se desconfortáveis e que acima de 80 decibéis são potencialmente lesivos para a audição.

“Além da perda auditiva, a exposição a ruídos de alta intensidade também pode gerar ansiedade, tontura, zumbido, aumento da sensibilidade no ouvido, estresse e dor de cabeça. Sabemos que se uma pessoa é exposta uma intensidade maior que 89 decibéis por mais de cinco horas por semana já pode ocorrer danos permanentes a adição”, reforça a especialista.

Nayara Soares explica que para utilizar fones com segurança é preciso manter um volume mediante o qual seja possível compreender a fala e ruídos externos. Orienta também a não usar fones por muito tempo seguido, mas com algumas horas de descanso, respeitando o limite de até quatro horas por dia.

“A surdez causada por essa exposição vai acumulando ao longo dos anos, e a prevenção ainda é a melhor forma de evitar a perda auditiva”, pontua.

“O ideal é sempre controlar o volume, deixando sempre em, no máximo, 50% da capacidade do aparelho. Outra dica importante é preferir os fones do tipo concha, os menos agressivos, porque eles estão mais distantes das estruturas do ouvido se comparados aos fones intracanais”, complementa a otorrinopediatra Nayara Soares.

Outros cuidados

Para preservar a saúde auditiva é importante manter outros cuidados, como a limpeza da parte externa da orelha com pano macio ou tolha, sem a introdução de cotonetes, palitos ou outros objetos. Em casos de desconforto ou dificuldade em ouvir é necessário procurar o médico e tomar apenas medicamentos prescritos pelo especialista. O uso de tampão de ouvidos também é um reforço à proteção auditiva para lugares ou situações barulhentas.

Fonte: Bocão News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.