Traficante guanambiense foge da polícia deixando esposa, bebê e R$ 700 mil em drogas para trás no Mato Grosso do Sul

(Foto: Reprodução)

Caio Vinicius Fogaça das Neves, vulgo “Caio Fogaça”, traficante guanambiense de alta periculosidade,  fugiu na noite da última quarta-feira (17) durante uma ação policial em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. Ele fugiu deixando esposa, bebê e R$ 700 mil em drogas para trás.

Conforme publicado pelo Campo Grande News, a operação conjunta entre policiais do GARRAS (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco e Resgate a Assaltos e Sequestros) e da Polícia Militar (PM), ocorreu no bairro Jardim Colúmbia, onde o traficante residia com a família. A denúncia era de que a residência seria um ponto de vendas de entorpecentes.  Na frente, havia um veículo Citroen C3 estacionado, onde foi possível localizar 3 (três) tabletes de maconha.

Os policiais adentraram na casa após chamarem no portão, mas Caio já havia fugido, deixando para trás a esposa, de 24 anos e sua filha, uma bebê de 7 meses, além de uma enorme quantidade de drogas. 10.650kg de cocaína do tipo “crystal” ou “escama de peixe” com alto teor de pureza distribuídos em 16 porções, uma prensa mecânica, o carro e uma motocicleta modelo Honda Biz foram apreendidos. Veja vídeo:


A mulher foi presa e flagranteada pelo crime de tráfico de drogas e a bebê foi entregue ao Conselho Tutelar, já que não tinha nenhum familiar para assumir a guarda.

O traficante não foi encontrado, mas as guarnições seguem em diligências a fim de capturá-lo.

EXTENSA FICHA CRIMINAL

Caio Fogaça é natural de Guanambi, no sudoeste baiano, onde possui uma extensa ficha criminal e é considerado extremamente perigoso, por ter participação em um grande esquema de facção de drogas, e ser suspeito de praticar oito homicídios ocorridos na cidade de rivais do tráfico.

Ele é fugitivo dos presídios de Guanambi e Vitória da Conquista, onde simulou uma doença e fugiu do hospital. Em 2018, se mudou para Ponta Porã (MS) e acabou sendo preso por porte ilegal de arma de fogo e  resistência, depois de troca de tiros com Policiais Militares.

Ele estava em liberdade condicional. Com a recente fuga, o delegado titular de Campo Grande já solicitou a sua prisão preventiva e aguarda a decisão da justiça.

Feito por Amanda Santos/Portal Vilson Nunes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.