Montealtense publica artigo com duras críticas aos gestores públicos de Palmas de Monte Alto; Confira aqui

    0
    516
    montealtense graduando em arquitetura e urbanismo, João Pedro Moura

    O montealtense graduando em arquitetura e urbanismo, João Pedro Moura, publicou artigo nesta quarta-feira (7/3), em sua página pessoal no Face book, criticando duramente a Administração Municipal de Palmas de Monte Alto (BA), comandada atualmente pelo prefeito Manoel Rubens Vicente da Cruz e, ainda teceu comentários negativos contra a gestão do ex-prefeito Fernando Laranjeira, que segundo ele, também foi ineficiente.

    Com uma linguagem popular e direta, João Pedro destacou que o atual chefe do executivo municipal, que fora eleito, com a esperança de mudança, “não parece mais exercer de forma competente a administração municipal do século XXI, com um secretariado fraco e ineficiente o prefeito parece que perdeu a rédea da administração, ou como se diz: “perdeu a ponta da meada” e parece que não vai reencontrá-la tão cedo! — Infelizmente”, disse ele.

    Ainda no texto, o montealtense argumentou que não há como dizer se a nova gestão está melhor ou pior do que a anterior. Na avaliação dele, “está do mesmo jeito e o município continua parado no tempo, sem nenhuma perspectiva de desenvolvimento”. João Pedro alega que o Poder Público Municipal demonstra total desorganização, ineficiência e falta de planejamento. Apesar das críticas, ele encerrou desejando que o cenário mude ainda nesta gestão. “Que ventos de mudança venham ao município, e desejo que já venham nessa administração. Pois cada ano ruim são décadas perdidas. Já perdemos muito com o ex-prefeito e continuamos a perder com o atual prefeito”, abordou. Confira aqui o texto na íntegra:

    FATOS SÃO FATOS

    Mais de um ano, após a posse de uma nova administração, a sensação que paira no ar, é a de que se o resultado da eleição fosse diferente… Estaríamos iguais!

              Iludidos de que uma nova administração, de um velho conhecido, produziria resultados diferentes da gestão do ex-prefeito que buscava reeleição, a população foi à urna e deu o pleito a um grão de farinha do mesmo saco. Estamos dando murro em ponta de faca, alternando esses anciãos da política, que governam em causa própria e de seus conchavos.

             Assim como o antecessor e rival, o atual prefeito, não parece mais exercer de forma competente a administração municipal do século XXI, com um secretariado fraco e ineficiente o prefeito parece que perdeu a rédea da administração, ou como se diz: “perdeu a ponta da meada” e parece que não vai reencontrá-la tão cedo! — Infelizmente.

              Já disse e repito: “o sucesso do governante é o sucesso da toda cidade”, por isso fico muito triste e decepcionado diante da atual situação que se encontra nosso município, gostaria realmente que o cenário fosse outro. Mas diante dos inúmeros erros e tropeços da gestão, não há como tapar o sol com a peneira, dizendo que está melhor ou pior… Afinal, está do mesmo jeito. Pois quem realmente deveria sentir alívios de uma boa administração, não sentiu e não sente, nem com ex-gestor, nem com atual gestor. Estamos parados no tempo, sendo governados por estes, que já conhecemos e não produzem desenvolvimento.

             Além do aumento da taxa de iluminação, outra total falta de pudor contra a população, foi o fechamento de escolas, sem nenhum estudo adequado, nada foi levantado sobre uma nucleação que não degradaria a estrutura física, psicológica e consequentemente do aprendizado dos alunos que foram afetados, diante essa imoral tomada de decisão do prefeito e do secretário de educação, só podemos lamentar e não insistir no erro. Diante do assunto as respostas são pifeis e infundadas, afinal, repito, não houve nenhum estudo aprofundado para tal decisão. Tudo parece ser feito na coxa.

              A prova de que a atual administração, assim como a do ex-prefeito, é uma total falta de organização, é a última resposta dada diante a atual situação da Praça da Bandeira (Praça da Prefeitura) que se encontra “pelada”, um cartão postal, devastado. A resposta é a de que “se surgir verba” a obra será feita, “se não surgir” não será. Ora, o Plano Plurianual que é feito organizando o orçamento para quatro anos já não deveria prevê a verba para tal ação, que é de grande porte?! — Uma administração eficiente e com planejamento já deveria ter conhecimento das obras que serão realizadas, ao menos de obra com um porte desse, que é a revitalização da Praça da Bandeira. Tomara que saia essa verba, pois está deprimente a principal praça do município.

              Para não alongar, pois diante das inúmeras faltas que estão na atual administração. Gostaria de desejar que ventos de mudança venham ao município, e desejo que já venham nessa administração. Pois cada ano ruim são décadas perdidas. Já perdemos muito com o ex-prefeito e continuamos a perder com o atual prefeito. É necessário se desprender das paixões e despir da ilusão de que os mesmos agentes produzirão resultados diferentes.

              Nós não elegemos ninguém para nos dizer o quão ruim foi seu antecessor, mesmo que isso verdade seja, elegemos alguém para produzir resultados que melhorem a vida da população.

              Sei que muitos não concordam comigo e tem todo o direito de não concordar. Mas é obvio que precisamos mudar e mudar com novos parâmetros e novos agentes. Nada desses maus políticos, que já provaram que são sombra de mangueira. Espero realmente que o cenário para o futuro seja melhor. E sobre discordar, até podeis, mas fatos são fatos.

                         João Pedro Rocha de Moura Oliveira

                        06.03.18, Estado da Bahia

    Biografia:

    JOÃO PEDRO MOURA (1994), montealtense, ensaísta, graduando arquiteto e urbanista, pela União Metropolitana para Desenvolvimento de Educação e Cultura, Lauro de Freitas, Bahia. Foi conselheiro escolar no Colégio Municipal Eliza Teixeira de Moura (Palmas de Monte Alto) entre 2009 e 2010, e membro do colegiado escolar do Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães (Guanambi) entre 2013 e 2014, coordenador paroquial da RCC – Renovação Carismática Católica – de Palmas de Monte Alto entre 2014 e 2015; autor do texto das leis aprovadas unanimemente pela Câmara Municipal de Palmas de Monte Alto, em 19.12.16, que dispõem sobre a Criação do Conselho Municipal de Cultura e Proteção à Igreja Matriz de Nossa Senhora Mãe de Deus e dos Homens; responsável pelo projeto do CAM – Conjunto Arquitetônico da Matriz em Palmas de Monte Alto. Em 19 de maio de 2017, ele lançou o seu 1º livro, intitulado: “Para entender o montealtense”.

    Fonte: Portal Vilson Nunes

    LEAVE A REPLY

    Please enter your comment!
    Please enter your name here

    This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.