Justiça marca Júri de réu que assassinou homem e tentou matar ex-mulher na zona rural de Palmas de Monte Alto

Jonaste do Patrocínio Pereira, vulgo “Negão” (Foto: Leitor do Portal Vilson Nunes)

Jonaste do Patrocínio Pereira, vulgo Negão, de 52 anos, acusado de assassinar José Carlos Barbosa, mais conhecido como Zé Rodela e tentar matar a sua ex-companheira, Maria Aparecida Fernandes da Silva, 40 anos, irá a júri popular por homicídio duplamente qualificado e tentativa de feminicídio em concurso material, conforme decisão da justiça. Os crimes aconteceram no dia 2 de outubro de 2021, na localidade de Lagoa do Couro, na zona rural de Palmas de Monte Alto (BA).

O julgamento foi marcado para acontecer na próxima sexta-feira (19), às 9h, na Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Palmas de Monte Alto-BA, e será presidido pelo juiz de Direito Substituto ARTHUR ANTUNES AMARO NEVES. Atuará em nome do Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA), o Promotor de Justiça em Substituição DR. ARIOMAR JOSÉ FUIGUEIREDO DA SILVA. O nome do advogado de defesa não foi informado.

ENTENDA O CASO

Segundo informações obtidas pelo PORTAL VILSON NUNES, o referido réu, de posse de uma faca, motivado por ciúmes, teria desferido diversos golpes contra José Carlos. A vítima não resistiu e morreu no local. A ex-mulher do agressor, Maria Aparecida, também foi esfaqueada e sofreu lesões no braço, mão direita e rosto. Apesar dos ferimentos, ela sobreviveu. Após o fato, Jonaste fugiu por destino desconhecido. No entanto, dias depois, em 8 de outubro de 2021, ele se apresentou espontaneamente à Delegacia Territorial de Palmas de Monte Alto, acompanhado de seu advogado. Na ocasião, o delegado Dr. Romilson Dourado já havia representado pela prisão preventiva e a juíza deferiu o pedido. Diante disso, o acusado ficou preso e permanece encarcerado no presídio de Brumado aguardando a sua sentença.

FICHA CRIMINAL

Conforme apurado pela nossa reportagem, Jonaste também é acusado de envolvimento na morte de Edilson de Jesus Nogueira, 35 anos, que foi assassinado a golpes de faca, no distrito de Espraiado. O crime aconteceu em 29 de setembro de 2017. Após o homicídio, ele chegou a ser preso, mas foi solto posteriormente. Em janeiro de 2018, ele foi novamente detido após golpear seu padrasto Florisvaldo da Silva Leão, de 56 anos, com um machado.

Feito por Portal Vilson Nunes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.