CASO HIAGO | Familiares e policiais contestam nova versão apresentada pelos assassinos do jovem guanambiense

Foto: Reprodução

A divulgação de trechos dos depoimentos dos dois envolvidos na morte do guanambiense – Hiago Evangelista Freitas, de 24 anos, causou grande indignação à sua família e até mesmo aos policiais que trabalham na investigação do caso, conforme apuração do PORTAL VILSON NUNES.

Segundo divulgado nesta terça-feira (12) pelo site Sudoeste Digital, os acusados RODRIGO PORTO OLIVEIRA SILVA e ALEXANDRE CRUZ DE BRITO, disseram em depoimento ao juiz Reno Viana e ao promotor José Junseira, na tarde de segunda-feira (11)  em audiência de custódia, que o crime foi cometido a mando do tráfico de drogas, a quem supostamente a vítima devia – segundo a dupla – R$2.500,00 (dois mil e quinhentos reais). 

Uma parente de Hiago, que preferiu não ser identificada, disse à nossa reportagem que, descarta qualquer possibilidade do envolvimento da vítima com drogas.

Um policial também contactado acredita que, a mudança de depoimento pode ser uma estratégia de defesa por conta da grande comoção social. Ele ainda informou, que até o momento, não há nada nos autos que indique envolvimento de Hiago com o tráfico.

Em uma participação nesta quarta-feira (13) no programa Redação Brasil, da Rádio Brasil FM, o jornalista Daniel Silva questionou a versão dos acusados do crime brutal com relação a causa da morte ter sido por dívida do tráfico. “Que provem tal afirmação. A palavra dos assassinos não pode ser verdade absoluta”, disse.

Os dois acusados estão custodiados no Conjunto Penal de Vitória da Conquista, mas a Operação Especial da 10ª Coordenadoria de Polícia do Interior ainda busca novas provas para saber o que provocou a morte de Hiago.

Fonte: Portal Vilson Nunes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.