Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Após denúncia formalizada pelos vereadores da oposição no município de Pindaí, os quais indicaram que Valdemar da Silva Prado, esposo da prefeita Rosane Madalena Ladeia Pereira Prado, estaria recebendo pagamentos irregulares como médico do PSF e Hospital Padre Antônio Manoel da Rocha, ambos em Urandi, e ainda por 12h do governo do Estado, quando esteve ocupando a função de Secretário Municipal de Saúde de Pindaí, onde deveria haver dedicação exclusiva e integral, o Ministério Público (MP) solicitou à justiça em caráter liminar que mais de R$ 1 milhão em bens do casal fossem bloqueados para garantia de uma futura condenação por ato de improbidade administrativa.

9
Foto: Divulgação MP

Segundo consta na ação, a promotora Tatyane Miranda Caires de Mansine Castro entendeu que a gestora Rosane violou disposições legais quando nomeou o marido, mesmo sabendo da ilegalidade, bem como por anuir e concorrer para a prática do ato ilegal e improbo de seu esposo, por ser beneficiário do ato, enriquecendo-se á custa do prejuízo do erário. Os réus ainda não se manifestaram sobre o pedido do MP.

Fonte: Marcos Oliveira e Vilson Nunes / Sudoeste Bahia

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here