Sem descanso. É assim que as quadrilhas especializadas agem. Segundo o sindicato dos Bancários da Bahia, com investimento pífio em segurança por parte dos bancos, a porta de entrada das agências fica escancarada para os bandidos fazerem o que bem entendem. Até o momento, a Bahia já registrou 70 ataques. Se a vigilância em Salvador é ruim, muitas unidades funcionam sem porta giratória, no interior é bem pior. São 59 ocorrências contra 11 na capital baiana. Detonar os caixas eletrônicos tem sido uma das formas mais fáceis de ganhar dinheiro. Tanto é que as explosões lideram a lista com 49 casos. As tentativas frustradas aparecem em seguida (oito) e os assaltos e arrombamentos somam seis e sete, respectivamente. Por ter um número maior de agências, o Banco do Brasil é o principal alvo e foi atacado 33 vezes. Bradesco tem 22 registros. A Caixa contabiliza 10. Bancos não identificados chegam a quatro e o Itaú possui um. Os quatro maiores bancos em atividades no país (Itaú, Banco do Brasil, Bradesco e Santander) lucraram, juntos, R$ 50 bilhões em 2013. Apesar do montante alto, apenas $ 2,5 bilhões foram destinados para a segurança. Descompromisso com a vida humana.

Fonte: Brumado Agora

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here